fbpx

Descubra se 5 lendas urbanas do cinema são falsas ou verdadeiras

Descubra se 5 lendas urbanas do cinema são falsas ou verdadeiras
15/08/2018 Redação GC

Descubra se 5 lendas urbanas do cinema são falsas ou verdadeiras

O cinema é uma fábrica de ilusões. Por conta disso, muitos boatos acabam surgindo ao longo das décadas e são reproduzidos eternamente. Que tal descobrir a verdade sobre casos famosos? Quais mitos abaixo você já tinha ouvido?

1. O Mágico de Oz
Lenda: Judy Garland recebeu menos do que o cachorro Totó
Status: Falso

Hoje em dia, muito se fala sobre a disparidade salarial entre atores e atrizes. Um dos casos mais notáveis foi por conta das refilmagens de “Todo o Dinheiro do Mundo”, do ano passado, no qual Mark Wahlberg recebeu 1,5 mil vezes mais do que sua companheira de tela Michelle Williams. Agora, você consegue imaginar como eram as coisas há coisa 8 décadas? Em 1939, Judy Garland estrelou o clássico “O Mágico de Oz”, e, segundo a lenda, teria recebido US$ 35 por semana para isso. Já o intérprete do cãozinho Totó teria ganhado US$ 125 dólares por semana, bem mais do que Judy.

Ainda que a atriz tenha sofrido diversos tipos de assédio moral do diretor Victor Fleming, seu salário era de US$ 500 semanais. O cãozinho de fato ganhava US$ 125, enquanto atores homens, como os que fizeram o Espantalho e o Homem de Lata ganhavam até US$ 3 mil por semana! Quem recebia menos que o cachorro eram os intérpretes dos munchkins: eles ganhavam US$ 100 por semana.

2. Apocalypto
Lenda: Wally, de “Onde Está Wally?”, aparece no filme
Status: Verdadeiro

Neste filme de 2006, Mel Gibson narra o fim da civilização maia, no século 16. Obviamente, isso foi bem antes de o personagem Wally começar a se esconder em livros, algo que começou apenas em 1987. Gibson costuma levar suas obras muito a sério, inclusive usando línguas yucatecas, com legendas em inglês, para deixar o filme mais realista.

Porém, algumas pessoas começaram a compartilhar que no meio do filme o personagem da camisa listrada fazia uma microaparição. E não é que é verdade? Gibson achou que seria engraçado inserir o personagem morto com um flechada na cabeça em uma cena de apenas um quadro. No vídeo abaixo, você pode ver o personagem em uma vala comum, cercado de outros corpos. Confira:

3. Superman – O Retorno
Lenda: O volume do pênis de Brandon Routh precisou ser diminuído digitalmente
Status: Falso

Quase 20 anos depois de “Superman 4 – Em Busca da Paz”, o Homem de Aço finalmente voltaria às telonas. Em 2006, “Superman – O Retorno” trouxe Brandon Routh no personagem principal e gerou uma série de controvérsia: as cores do uniforme estavam muito escuras, o “S” no peito era muito pequeno, o “pacote” no meio das pernas era muito grande…

Epa! Esse último, entretanto, apesar de ser um assunto muito falado na época, não passa de uma grande bobagem! Teve gente falando que o volume foi diminuído digitalmente para não chamar tanta a atenção nas telas, mas, mesmo não tendo sido alterado, muito se falou sobre os dotes de Routh.

4. Toy Story
Lenda: O desenho quase foi cancelado por ser muito obscuro
Status: Verdadeiro

O primeiro clássico da Pixar quase não saiu do papel por ser considerado obscuro demais! Mas se você pensa que estamos falando da história que chegou aos cinemas, você está enganado: nas primeiras versões do roteiro, o caubói Woody era de fato o grande vilão do filme, não suportando perder a preferência de brinquedo favorito do Andy para o patrulheiro espacial Buzz Lightyear.

A história do ciúme permaneceu no longa, mas o caráter de Woody foi amenizado. Na cena em que Woody joga Buzz pela janela do quarto, a ideia era mostrá-lo fazendo isso intencionalmente, mas os produtores mudaram para um acidente – algo que acabou sendo discutido pelos próprios outros brinquedos que consideraram o caubói culpado.

5. Pulp Fiction – Tempo de Violência
Lenda: Todos os relógios marcam 4h20
Status: Falso

“Cães de Aluguel” lançou o diretor Quentin Tarantino nos holofotes, mas foi com “Pulp Fiction” que ele se tornou o novo queridinho da indústria cinematográfica. Seus filmes costumam ser recheados de informações que extrapolam os limites das telonas e exigem conhecimento prévio dos espectadores.

Uma das principais lendas é de que todos os relógios de “Pulp Fiction” marcam 4h20 – um horário que faz referência ao consumo de maconha! Ainda que um ou outro relógio tenha realmente sido configurado para mostrar esse horário, nem todos os aparelhos que aparecem no filme mostram essa configuração. Inclusive, o relógio de Butch, um dos mais importantes do filme, aparece com uma hora bem diferente.

Fonte: MegaCurioso

SAIBA TUDO QUE ESTÁ ROLANDO!

Newsletter

Posts relacionados