fbpx

5 crimes quase perfeitos que foram descobertos por pequenos detalhes

5 crimes quase perfeitos que foram descobertos por pequenos detalhes
01/10/2018 Redação GC

5 crimes quase perfeitos que foram descobertos por pequenos detalhes

Que o crime não compensa, é um fato, mas alguns bandidos conseguem a sorte grande de passar vários anos sem serem descobertos. Porém, quando pequenos detalhes vêm à tona, todo o passado criminal é revelado. Confira 5 histórias assim, nas quais o mistério só foi solucionado por pura sorte:

1. Tatuagem que incrimina

Se você cometesse um crime praticamente insolúvel, o que você jamais deveria fazer? Tatuá-lo no corpo, é claro! Anthony Garcia ficou 7 anos sem ser identificado como um dos autores de um assalto a uma loja de bebida que terminou na morte de um homem. Garcia havia sido preso por conta de uma treta de trânsito, mas um dos oficiais responsáveis pela investigação do assassinato anos antes acabou vendo sua foto e reconhecendo a cena do crime tatuada em detalhes no peito do bandido!

2. O pulo do gato

Em julho de 2012, o britânico chamado David Guy foi assassinado e teve seu corpo desmembrado. Sem muitas pistas, a investigação acabou encontrando oito pelos de gatos na cortina que enrolava o torso de Guy. A suspeita é que pertencessem a Tinker, o felino de um dos desafetos de Guy, David Hilder, e, portanto, um suspeito. Análises de DNA provaram que realmente se tratava de vestígios do bichano, por isso Hilder acabou sendo condenado.

3. Login de cadeia

 Em 2012, uma dupla atrapalhada entrou em um cybercafé com o intuito de assaltá-lo. Os dois esperaram o momento ideal e, enquanto isso, navegaram na internet e acessaram o Facebook. Quando o assalto aconteceu, eles conseguiram tomar cuidado para não deixar nenhuma pista nem serem vistos por outros clientes. Só precisavam ter deslogado da rede social, para não acabar deixando facílimo para as autoridades encontrá-los…

4. Nunca se gabe de um crime

Em outubro de 1979, a jovem Susan Schwarz, de 22 anos, foi morta em casa. Os policiais não conseguiram achar nenhuma pista, o que fez o caso se tornar uma pedra no sapato dos oficiais de Seattle, nos EUA. Em 2008, um baralho com informações de crimes não solucionados foi produzido e distribuído em diferentes lugares, com solicitações para quem puder ajudar.

A história de Susan estava lá, e seu assassino já estava preso, mas por outro crime. Em 2011, seu companheiro de cela o dedurou, levando os investigadores a solucionarem o caso mais de 30 anos depois: Susan era amiga da namorada do seu algoz e deu conselhos para acabar com o relacionamento abusivo.

5. Quando o destino interfere

Em 30 de abril de 1997, uma mulher se passando por enfermeira entrou em uma maternidade na África do Sul e sequestrou a pequena Zephany Nurse, de apenas 3 dias. Seus pais tentaram de tudo para achá-la, mas não conseguiram. Já em 2015, a nova filha do casal, Cassidy Nurse, passou a frequentar uma escola onde todo mundo apontou que ela era idêntica a outra menina. Ambas se tornaram amigas, até que os pais de Cassidy perguntaram a Zephany quando ela tinha nascido; a resposta: 30 de abril de 1997! A autorização de um teste de DNA comprovou que se tratava da filha perdida, reencontrada pelo destino. A mulher que a sequestrou acabou sendo presa.

Fonte: Mega Curioso

SAIBA TUDO QUE ESTÁ ROLANDO!

Newsletter

Posts relacionados